Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Tuesday, 05 de January de 2016 - portalriomaina@live.com

Trânsito

Conheça o programa de Paisagismo na BR-101 Sul

Conheça o programa de Paisagismo na BR-101 Sul

Muito além do asfalto e concreto que moldam a duplicação da BR-101 Sul em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, vários projetos pretendem harmonizar a obra ao meio ambiente. Dentre os 22 projetos socioambientais e um estudo dispostos no Projeto Básico Ambiental (PBA), implementados pelo consórcio Concremat-Tecnosolo-Worleyparsons, contratado pelo DNIT/SC, há o programa de paisagismo.

Considerando o enorme ecossistema ao longo da rodovia, o programa buscou, entre outros, promover a recomposição das formações vegetais na faixa de domínio, utilizar a própria vegetação como sinalização viva, destacar as Áreas de Preservação Permanente, que são protegidas pela legislação em vigor, além de fazer combinações de espécies vegetais plantadas ao longo da rodovia com características diferentes, o que quebra a monotonia e torna a viagem mais segura e agradável.

Além disso, este item do PBA tem como objetivo auxiliar na manutenção e no enriquecimento da cobertura vegetal ao longo da faixa de domínio, promover a recomposição das formações ciliares na faixa de domínio. Serve ainda para contribuir com a segurança rodoviária utilizando o potencial da vegetação como sinalização viva e como medida compensatória da perda do patrimônio biótico das áreas de uso do canteiro de obras, devido ao desmatamento necessário à duplicação da rodovia.

A prática deste item pode ser acompanhada de perto em taludes, bordos e canteiro central de pistas da BR-101 Sul. Acalifas, hibiscos, azaléias, caliandras, espirradeiras, agaves, esponjinhas e escovas de garrafa são algumas das espécies em floração. Para cada trecho, um tipo de diferente. Essa distribuição serve também como sinalização para a rodovia.

Segundo o PBA, nas curvas horizontais acentuadas, o plantio de maciços arbóreos homogêneos pouco antes da curva servirá para sinalizar, à longa distância, a presença de curvatura na pista. Nos abrigos para transporte coletivo, a vegetação usada será arbórea de médio a grande porte, com copa densa, dispostos junto ao abrigo de modo a não bloquear a visão da pista de chegada dos ônibus.

O programa está concluído, tanto em SC quanto no trecho de duplicação no Rio Grande do Sul.

Texto: Muriel Ricardo Albonico

GALERIA DE FOTOS