Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Wednesday, 27 de September de 2017 - portalriomaina@live.com

Política

Álcool em gel deve ser disponibilizado em estabelecimentos públicos

Álcool em gel deve ser disponibilizado em estabelecimentos públicos

Os vereadores aprovaram por unanimidade na sessão desta terça-feira (26/9) o projeto de lei PL 72/17 de autoria do vereador Dr. Allison Pires (PSDB) que obriga a disponibilização de álcool gel 70%, para a higiene das mãos nos estabelecimentos públicos e privados acessíveis ao público.

Conforme o edil, as mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos, pois a pele é um possível reservatório destes, que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de contato direto ou indireto, através do contato com objetos e superfícies contaminados. Na camada mais superficial da pele podem-se encontrar bactérias, além de fungos e vírus (por exemplo: o vírus da gripe H1N1).

“Diversos países nos cinco continentes registraram dezenas de milhares de casos e óbitos, e o Brasil esteve entre aqueles com mais contaminados por essa doença. Durante os meses em que vivemos sob o perigo constante da transmissão da gripe A, as ações de prevenção ao contágio foram essenciais para evitar um número cada vez maior de pessoas infectadas e a principal arma de combate utilizada foi o álcool em gel”, disse.

O parlamentar ainda mencionou que pouco conhecido pelos brasileiros até então, o álcool em gel surgiu como o grande aliado, um verdadeiro escudo, contra a transmissão do vírus. “Embora todos soubessem que a gripe H1N1 fosse transmitida pelo ar, era de vital importância o uso do álcool em gel para desinfetar as mãos já que estamos tocando em tudo o tempo todo, e isso faz de nossas mãos um verdadeiro meio de transporte de vírus e bactérias para dentro do nosso corpo, pois tocamos em nosso rosto, em média, três vezes por minuto. Assim, o patógeno se aloja próximo de nossas bocas e narizes. A popularização do álcool em gel é notada até hoje. Muitas pessoas criaram a rotina de carregarem consigo um frasco para higienizar as mãos ao longo do dia; escolas e ambientes com grande concentração de pessoas, como os shoppings, também passaram a disponibilizar o produto”, comentou.

Em 2010, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), confirmando a importância do álcool em gel na prevenção de doenças, obrigou todos os serviços de saúde do País a disponibilizá-lo para a higienização das mãos dos profissionais na área.

“É importante saber que somente o álcool em gel 70% é eficaz e seguro para a higienização, e não deve ser substituído pelo utilizado na limpeza doméstica ou por outro que tenha concentração maior, como os de 90%, pois esses podem causar irritações na pele. A vantagem da utilização do álcool gel (70%) fundamenta-se na sua ação germicida. Age nos microrganismos através da lise celular e coagulação de proteínas. Além de sua ação germicida ele apresenta uma ação rápida (aproximadamente 15 segundos) e desidrata menos as mãos quando comparado ao uso de água e sabão, principalmente quando formulado com um agente umectante (por exemplo: glicerina). Também apresenta a vantagem de não ter efeito residual e, portanto, previne a intoxicação caso levem-se as mãos a boca”, enfatizou o vereador.

Texto: Daniela Savi - JP 01970/SC