Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Evento / Primeiro Encontro da Família BONFANTE

30/07/2015 - Primeiro Encontro da Família BONFANTE

O encontro dos descendentes do casal ANGELO BONFANTE E JOANA MANENTE foi realizado em Sanga das Pedras, Morro Grande, no dia seis de junho de 2015. Reuniu descendentes de diversos lugares para relembrar a história de vida dos antepassados que imigraram da Itália para o sul de Santa Catarina.

 

O encontro teve início com a Missa de Ação de Graças na Igreja de Sanga das Pedras, onde os presentes procuraram dar atenção às histórias lidas e contadas e com alegria confraternizar-se com os demais parentes que foram chegando de diversos lugares com uma grande festa (almoço, café colonial e música) proporcionada por uma equipe que se dedicou durante um ano de preparação.

 

Muitas reuniões foram realizadas até a concretização do encontro: idas e vindas, contatos, descobertas, novas informações e novas histórias foram ouvidas e relidas, documentos e fotografias foram garimpadas para compor um breve histórico da Família Bonfante. Foi um verdadeiro mutirão. A equipe responsável já planeja um segundo encontro para 2017.

 

Uma busca de novos descendentes dos primeiros imigrantes da família. O primeiro encontro foi uma homenagem àqueles que desbravaram a mata, lutaram com todas as forças para conquistar um espaço, criar e educar seus filhos, com confiança na graça de Deus e sem jamais desanimar servindo de exemplo para todos nós.

 

De Pontirolo Nuovo para o Brasil

Uma Comuna italiana da Região da Lombardia e Província de Bérgamo. Centro agrícola que, na época da imigração, contava com uma população de 1.770 hab., numa superfície de 11,10 km2. As condições sociais, econômicas e habitacionais eram precárias. A maioria eram trabalhadores da terra, meeiros e pequenos lojistas.

O sonho dos imigrantes era de encontrar na América a terra aonde reconstruir suas vidas. Giovanni Antonio Bonfante e Ângela Maria Colombo deixaram sua cidade natal com seus dois filhos Josefina (sete anos) e Celeste Domênico (três anos) e outras famílias, no dia 22/12/1891 e chegaram no Brasil no dia 24/02/1892. Enfrentaram a tão temida e esperançosa viagem em busca do sonho de melhores condições de vida para si e seus descendentes.

Chegando a Santa Catarina, a Companhia Metropolitana distribuiu um lote de terra para cada família. Coube ao casal Giovanni e Ângela o lote que hoje corresponde parte do Bairro Floresta, em Rio Maina. A primeira casa construída foi um barracão de palha onde acomodou quatro famílias. Bem mais tarde conseguiram construir suas casas. Uma a uma. Em Vila Floresta o casal teve outros quatro filhos: Carolina, Carlos, João e Ângelo.

História de Ângelo Bonfante e Joana Manente

Iniciaram sua vida de trabalho árduo no Bairro Santa Terezinha, hoje parte do município de Forquilhinha. Ambos nascidos em 1901. Casaram-se em 1921 na Igreja São José de Criciúma. Filhos de imigrantes italianos tiveram quinze filhos. Três faleceram ainda bebês. Os demais são: Angelim, Maria, João, Angelina, Severino, Otávio, Antonio, Hercílio, Atílio, Valdir, Salute e Dilma. Dentre eles ainda vivem Angelina e Dilma.

Ângelo e Joana moraram algum tempo em Vila Seca, hoje São Bonifácio, Nova Veneza. Em suas vidas não faltaram dificuldades. Trabalharam em terras arrendadas.

Com o peso dos anos, o filho João os acolheu em sua casa, em Sanga das Pedras. Viveram ainda por longos anos onde puderam fazer atividades mais leves e que lhes davam alegria. Muitos netos recordam com saudade do nono Ângelo: sua cavalgadas, visitas aos parentes e o jogo dos três sete. Apesar das inúmeras dificuldades o casal não perdeu a fé ou deixou de acreditar em Deus.

Ouvindo este breve relato de vida podemos dizer que valeu a pena acreditar que a humildade também nos faz crescer, porque a simplicidade de nossos antepassados nos ensinou que tudo que precisamos está nas pequenas coisas, no meio em quem vivemos e que podemos contar e levar nossa história aos nossos descendentes sem jamais sentir vergonha do que somos e de onde viemos. Sejamos exemplo para as futuras gerações e sejamos gratos pelo legado que nossos antepassados nos deixaram.

Ângelo Bonfante faleceu em 03/08/1975 e Joana Manente em 02/09/1983. Nosso eterno obrigado a esses que pela sua perseverança nós existimos. 

FOTOS

Primeiro Encontro da Família BONFANTE
Voltar