Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página
Sunday, 29 de January de 2017

Claudeir Policarpi da Silva

Unidades Básicas de Saúde não serão fechadas

Pelo menos é o que garantem fontes oficiais ligadas ao prefeito Clésio Salvaro. Disseram-me em uma reunião às portas fechadas, que o chefe do Executivo declarou que uma vez um serviço colocado à disposição da população, assim continuará, o que haverá é a pessoal e corte nos custos afim de economizar mais. Que assim seja.

PMAQ

O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), trazido para Criciúma pela atual secretária de Saúde Franciela Lazzarin Gava Freitas em 2011, não será finalizado em Criciúma, pelo menos é o que garante a gestora. Atualmente os mais de R$ 2 milhões oriundos do Ministério da Saúde são divididos da seguinte forma:

30% para mobília e equipamentos;
2% para Agente Consultório Dentário - ACD;
9% para Técnico em Enfermagem - ESF;
3% - para profissionais do NASF;
10% para Enfermeiros do ESF;
10% para Médicos do ESF;
5% para Dentistas do ESF e CEO;
27% ACS;
4% Apoio/Gerencias Distritais;

Portanto semana passada alguns servidores levantaram a “hipótese” de que o “prêmio” fosse acabar, fato desmentido pela secretária que ainda disse: “Vamos aprimorar a destinação destes recursos repassando para quem realmente está comprometido com a saúde da população e a unidades serão reforçadas estruturalmente com parte deste verba”, disse.

Prazos cumpridos

Até o momento o secretário da Fazendo de Criciúma, Robson Gatuzzo, tem se virado nos “trinta” para cumprir o que promete aos servidores. “A tarefa não está sendo fácil pois o tempo é curto para pôr tudo em dia e muitas dívidas a pagar, pedimos calma aos trabalhadores”, diz.

Nesta semana o Sindicato da categoria faz uma assembléia para decidirem por uma possível paralisação caso os pagamentos voltem a atrasar ou serem parcelados, os professores voltaram e a classe se mobilizou de verdade.

Jornalista ou vice-prefeito

Eu diria os dois, mas pedir respeito porque é mais tempo “jornalista” que seu colega e em plena reunião dos servidores da saúde e o secretário da Fazenda, Robson Gatuzzo, é pedir demais. Isso aconteceu na primeira semana de janeiro deste ano, quando perguntado sobre a importância nos pagamento entre estagiários e profissionais da saúde, o vice Ricardo Fabris, ironizou a pergunta e saiu da sala, literalmente, chamando o outro colega (neste caso eu), de “mal educado” porque tinha mais anos de jornalismo. Pergunto: Foi eleito e está sendo pago para ser jornalista ou representar o povo? Quem é o mal educado da história? O fato foi presenciado por dois técnicos de enfermagem e membros do SISERP. Lamentável.

Rio Maina

E um dos maiores Distritos do Brasil continua muito bem representa. O atual presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Júlio Colombo, está trabalhando forte para representar dignamente o povo que lhe deu mais uma vez a chance de lhes representar.

Acabando janeiro. Vamos continuar acompanhando o trabalho dos nossos representantes e qualquer informação, nos envie e manteremos sigilo. (portalriomaina@live).